Como viaja a luz no interior da máquina fotográfica?

No momento certo e com os ajustes necessários, com um toque no botão de disparo, faz-se uma fotografia, é muito simples. Mas… e como viaja a luz no interior da máquina fotográfica? O que acontece no interior das máquinas fotográficas DSLR é um processo de reflexão da luz captada através da lente. Isto porque o que aparece no visor é exatamente a imagem captada pela objetiva. Apesar da herança deste sistema desde a fotografia de rolo, agora no standard-digital, este processo mantêm-se relativamente inalterado. Após a luz atravessar as inúmeras lentes que fazem parte do complexo sistema de focagem de qualquer objetiva, chega ao espelho que cobre o sensor. Este espelho reflete então a luz para “a cabeça” da máquina fotográfica, (conhecida como o pentaprisma), é aqui que acontecem as inúmeras leituras da imagem ao nível de pontos de focagem, medição de luz, exposição, etc.   Repare-se que no momento em que o disparo acontece o visor fica instantaneamente escuro, isso deve-se ao rápido movimento do espelho para cima em simultâneo com o abrir do obturador o que deixa a descoberto o sensor. E assim viaja a luz para registar mais uma fotografia! www.diogogarcia.com

Read More
Luz ótima para fotografia de retratos

Junto de uma janela é possível obter uma luz ótima para fotografia de retratos. O interior coberto provoca sombras muito interessantes e ao mesmo tempo reveladoras do contorno do rosto, que ao receber lateralmente a luz solar difusa e indireta que atravessa a janela permite fotografias com uma luz simples mas também muito bonita. Fotografar é compor imagens através do controlo da luz, a técnica de iluminação junto de uma janela é tão fácil e simples, que é quase de teste obrIgatório para quem gosta de fotografar. Boas fotos! Saber mais sobre fotografia!

Read More
Megapixéis não são tudo

Os megapixéis são por vezes um fator de escolha e diferenciação pouco compreendido, quando os utilizadores subentendem que a escolha de um equipamento com mais megapixéis resulta em maior qualidade final. Recentemente tem havido forte aposta em equipamentos fotográficos (em especial telemóveis, como o Nokia Lumia) com grande ênfase no débito de megapixéis. Mais megapixéis e mais qualidade não se encontram em constante relação de grandeza. O que diferencia a qualidade final é o sensor, repare-se na imagem seguinte que ilustra a dimensão dos sensores das diferentes máquinas fotográficas (do menor para o maior): Compactas, DSLR comum e DSLR FullFrame EOS 1Ds Mark III: Com esta ilustração é simples de perceber que um telemóvel com débito de 30MP não chega nem perto da qualidade de uma boa reflex com 6.2MP. Com pequenos sensores, as máquinas fotográficas compactas continuarão a debitar imagens enormes mas com baixa qualidade. Boas fotos! Saber mais sobre fotografia!

Read More
Fotografar em longa exposição

Uma longa exposição entende-se como uma fotografia com tempo de exposição superior a 1 segundo. Ao expor o sensor à luz durante 1 ou mais segundos, faz com que este capte maior luminosidade, como tal, mediante as configurações escolhidas podemos provocar um efeito de arrasto na fotografia ou tornar um cenário muito escuro relativamente mais claro. Estabilidade é a palavra chave para que a fotografia seja esteticamente apelativa. Com uma exposição de 1 segundo ou mais, dificilmente se conseguem imagens nítidas sem recurso a um tripé, isto porque no momento do disparo ou após este, as vibrações são notórias na máquina com grande risco de estragar o resultado final. Se não tens um tripé à mão, apoiar a máquina sobre uma superfície estável pode resultar. O movimento causado pelo carregar no botão de disparo pode ser diminuído ou eliminado se usares o temporizador com disparo diferido ou um controlo remoto de disparo com ou sem fios. Boas fotos! Saber mais sobre fotografia!

Read More
Disparo lento com movimento

O efeito de movimento e zoom transmite dinamismo à fotografia e permite inovar elaborando a criatividade. Com velocidades de disparo de 1/25 de um segundo (como neste caso), e com o ponto central focado, basta rodar o anel de zoom da lente durante o disparo e, com alguma prática consegue-se este efeito. Este tipo de imagem “replica” a distorção causada por objetos em deslocação é por isso muitas vezes usada em situações em que se pretende transmitir a sensação de movimento. Por exemplo, fotografar automóveis com esta técnica permite ilustrar a sensação que estão em movimento devido ao desfoque em túnel da fotografia. Boas fotos! Saber mais sobre fotografia!

Read More
Com 16 fotografias nasceu HDR de alta resolução

A técnica de fotografar através de fotografias compostas HDR (High Dynamic Range) foi abordada recentemente, esta sobreposição de fotografias de alta qualidade permite resultados fabulosos. Puristas da fotografia contestam os resultados possíveis com este método, no entanto sou da opinião de que deveremos abraçar de braços abertos esta nova tecnologia e assim atingir resultados não antes permitidos com recurso a edição e foto-composição. Cenas em que existem zonas de tons escuros mas também áreas muito claras representam um problema típico em fotografia, regra geral,  para expor corretamente a área escura a área mais clara fica demasiado branca e vice versa. O HDR mistura o melhor dos dois mundos, neste caso com a composição de 16 fotografias conservam-se todos os detalhes. Saber mais sobre fotografia!

Read More
Fotografias fabulosas com prioridade à abertura

Por mais fácil de usar que seja, o modo automático total funciona com base em decisões pré-introduzidas na configuração da máquina fotográfica o que nem sempre permite obter os melhores resultados. Uma das técnicas mais simples e eficaz para captar boas imagens é o modo prioridade à abertura. Máquinas fotográficas Canon ou Nikon dispõem deste modo de fotografia assinalado com Av e A respetivamente. O que significa fotografar com prioridade à abertura? Neste modo máquina fotográfica faz os ajustes necessários em termos de sensibilidade ISO e velocidade do obturador com vista a conseguir a melhor exposição em detrimento da abertura pré-selecionada. Controlar a abertura é crucial em fotografia pois uma maior abertura permite que mais luz atravesse a lente, por sua vez aberturas menores permitem maior profundidade de campo. A profundidade de campo representa a zona focada na imagem, aberturas maiores resultam em menor profundidade de campo e aberturas menores permitem maior profundidade de campo. Saber mais sobre fotografia!

Read More
Como fazer fotografias tilt-shift

Tilt-shift é uma técnica de fotografia com recurso a lentes especiais as quais permitem captar imagens em estilo de miniatura ou maquete. O adobe photoshop permite simular o efeito tilt-shift, basta para isso: Selecionar a fotografia a usar. Por regra, funcionam melhor as imagens com ângulo superior elevado pois simulam um ponto de vista mais alto. Abrir a fotografia no adobe photoshop e duplicar o layer. No novo layer (superior), aplicar filtro gausian blur, cerca da 25 pixeis. Criar layer mask e aplicar um filtro gradient.   Boas fotos! Saber mais sobre fotografia!  

Read More
Back to Top